Melhorando as opções de privacidade e segurança para proteger a sua navegação no Google Chrome

Última atualização por Olivia Jones em julho 16, 2018

Se você tiver prestado o mínimo de atenção nas notícias, você teria visto o rosto do criador do Facebook, o Mark Zuckerberg, espalhado por todos os lugares durante o momento em que ele admitiu ao Congresso como é feita a coleta de dados pelo gigante da mídia social, e como esse processo é assustador.

Mas o Facebook não é o único site popular colhendo os seus dados pelos montes. O Google Chrome, que já alcançou 1 bilhão de usuários no mundo todo desde 2015 e se tornou o navegador mais popular do planeta, também está monitorando cada movimento seu quando você passa o seu tempo online.

Mas e se você não quiser que todas essas informações caiam nos quartéis da Google, onde serão separadas e analisadas pelos vários algoritmos dos supercomputadores que a Google possui? Há algumas formas de impedir a coleta de dados do Chrome e se proteger enquanto você desfruta dos benefícios do navegador.

Quais dados são coletados pelo Chrome?

Se você está usando a versão padrão do Google Chrome, então o navegador monitora os dados seguintes:

  • A sua localização
  • O dispositivo que você está usando
  • O seu endereço IP
  • Tudo o que você busca online
  • Todos os sites que você visita
  • Todos os anúncios nos quais você clica
  • Todos os vídeos que você assiste
  • Os dados em cookies salvos pelo seu computador

Essa lista já é grande, mas ela se transforma em uma bomba atômica quando você usa uma das contas do Google, como o Gmail ou o Google+. Ao usá-las, eles também vão coletar:

  • Todos os e-mails que você envia ou recebe do Gmail
  • O seu endereço de e-mail e a sua senha
  • O seu calendário
  • Os seus contatos
  • Tudo o que você põe no Google Drive e todos os arquivos que você cria lá
  • O seu nome
  • A sua data de nascimento
  • O seu sexo
  • O seu número de telefone
  • O país em que você vive

De acordo com a Google, eles usam todas essas informações para melhorar a sua experiência online e torná-la mais divertida e personalizada aos seus gostos. Há um grande debate sobre a proteção de dados online que discute sobre essas afirmações, se você acredita nelas ou não.

Melhorando as opções de privacidade do Google Chrome

Felizmente, a Google apoia o seu direito de privacidade no Chrome e é obrigada por lei a lhe dar a opção de compartilhar o mínimo de dados possível.

O primeiro direito do cliente é navegar de forma privada, isso significa que você não deixará nenhum rastro, cookie ou histórico de navegação em seu computador. Isso pode ser feito ao clicar nos três pontinhos verticais no lado direito-superior da janela do navegador e selecionar a opção “Nova janela anônima”. Mas isso é apenas a ponta do iceberg.

Se você estiver usando qualquer serviço da Google que necessite da sua autenticação, o Chrome começará a monitorar os seus dados na hora.

Para desfazer isso, clique no botão dos três pontinhos e selecione Configurações. Próximo ao topo da página, você receberá a opção de “Desconectar a sua conta do Google”. Isso fará com que o Chrome não associe a sua conta do Google com nada que você acesse.

Se você não quiser usar nenhum dos serviços da Google, isso seria uma ótima ideia. Porém, passar um ou dois dias navegando sem eles vai lhe fazer sentir saudade das coisas que o Google Chrome faz com os seus dados; como salvar os seus favoritos, iniciar o Google Maps em sua localização atual, e preencher automaticamente os campos de senha e de informações de pagamento.

Se você quiser escolher quais informações você deseja enviar para a Google, clique no botão de “Configurações de sincronização avançadas” próximo ao botão de “Desconectar a sua conta da Google”. Isso lhe dará a opção de escolher quais tipos de dados você deseja sincronizar com a sua conta da Google e quais você não deseja compartilhar, tudo através de várias caixinhas de marcar que qualquer um pode usar facilmente.

Coisas como os seus aplicativos, as suas extensões, as suas senhas, e os seus favoritos são os elementos que compõem essa lista.

Usando uma Rede Virtual Privada (VPN)

Se você quer se livrar totalmente dos vícios de monitoramento de dados da Google, mas ainda deseja usar os recursos incríveis do Chrome, é hora de pensar em investir em uma Rede Virtual Privada (VPN). As melhores VPNs vão lhe custar alguns dólares por mês, mas em troca, você receberá o máximo possível de privacidade e anonimato na Internet.

Você vai precisar fazer uma pesquisa sobre a VPNs que funcionam melhor com o Chrome para saber qual é a mais ideal. Assim que você descobrir, você poderá usá-la para se conectar a outro servidor em uma localização remota. Grande parte dos fornecedores de VPNs possuem servidores espalhados pelo mundo todo, mas pelo bem da velocidade de sua conexão, é melhor escolher uma VPN que possua pelo menos um servidor no país de onde você está acessando a Internet.

Assim que conectada, a VPN criará um “túnel” de encriptação entre o seu computador e o servidor remoto da VPN. Ninguém do lado de fora, nem mesmo o Chrome, poderá ver o que está sendo transmitido. Assim que os dados chegam ao servidor, as suas solicitações de página e todas as suas atividades na web serão desencriptadas, receberão um novo endereço IP, e depois serão enviadas à Internet.

O mesmo procedimento ocorre ao contrário, com os dados e as páginas sendo solicitadas. As informações serão enviadas ao servidor remoto, encriptadas, e enviadas ao seu computador através do ‘túnel’. Nem o Chrome, nem ninguém mais poderá identificar o que você está fazendo na Internet. E já que as empresas VPN mais recomendadas não salvam registros de suas atividades, a sua segurança e a sua privacidade estarão ainda mais protegidas.

Olivia Jones
Olivia já escreveu e fez edições de grandes publicações e revistas. Sua posição anterior em uma empresa de segurança cibernética deu a ela a vantagem de desenvolver tendências de segurança online.